Buscar
  • Equipe Esporte Conviver

Ensino Humanizado no Brasil, dentro da Esporte Conviver

Atualizado: 11 de mai. de 2020

Entenda como o esporte pode dizer mais sobre o perfil de comportamento extrovertido do seu filho ou filha. Aprenda a diferenciar!


Aumente seu entusiasmo e energia com esse conteúdo sobre o perfil mais falado entre psicólogos, escritores, pais e mestres. O perfil de comportamento extrovertido em alunos de todas as idades abre diálogos e debates sobre o tema. Neste texto, acompanhe nossos valores e a forma como acolhemos todo perfil de aluno.


Você aprenderá neste texto:


  • Entenda a diferença entre Extroversão e Introversão

  • Opinião de quem entende, direto com o especialista

  • Balanceamento ideal nas aulas esportivas

  • O impacto paternal da Esporte Conviver no aprendizado nacional


 

FATOR EXPANSIVIDADE NAS CRIANÇAS


Você consegue diferenciar uma criança introvertida de uma extrovertida?

Parece óbvio, mas vamos mostrar que tratando de duas individualidades só enxergamos a ponta do iceberg.


Extroversão é caracterizada por formas de agir, sentir e pensar de uma maneira mais explícita, impulsiva e exibicionista!


Essa dinâmica é definida pela necessidade e interesses que são formados na atividade social do indivíduo. Como diz o psicólogo russo Alexei Leontiev, “a personalidade não nasce, ela se faz.”


Temos que entender perfeitamente esses traços de personalidade, para não criar estereótipos.


O perfil extrovertido é, normalmente, fácil de reconhecer na grande maioria das pessoas. Geralmente, os indivíduos com esse perfil despertam um pré-julgamento positivo por:

  • Serem expansivos;

  • Serem sociáveis e comunicativos — normalmente são a “alma da festa”;

  • Buscarem se energizar com as interações a sua volta;

  • Puxarem assunto com quem estiver ao seu redor;

  • Possuírem interações intensas;

  • Serem o centro das atenções.


Já as pessoas com perfil introvertido, praticamente o oposto, são consideradas, de uma forma pejorativa, apáticas, estranhas, entre outros termos “chatos”.

Vemos aqui indivíduos com:


  • Alto-grau reflexivo;

  • Escuta ativa;

  • Conciliação aflorada;

  • Ótima escrita;

  • Imaginação e criatividade afloradas;

  • Um bom livro na mão.


Vale ressaltar que não podemos qualificar qualquer perfil como sendo melhor ou pior. Ambos são traços de personalidades humanas e desta forma qualquer pessoa pode ter 50% de chance e nascer com uma predominância.


Praticamente todos que nasceram antes dos anos 2000, vão se lembrar que fomos educados sem essa distinção tão clara. Vivenciamos atividades, aprendemos e nos formamos adultos e, agora, cuidamos de novas crianças, como cuidaram de nós.


Naquela época, crescemos com um acesso limitado às informações e isso nos manteve imunes a tantas oscilações de personalidade.